UX (USER EXPERIENCE) – PARA MODELOS DE NEGÓCIO E DE PRODUTOS, SIMPLES E DIFERENCIADOS

O termo UX – User Experience é utilizado para sintetizar o conceito de se criar diferencial competitivo, podendo ser aplicado para projetos e negócios, usando os preceitos do digital. Tanto que no mundo dos novos modelos, não se fala mais em desenhar produtos e serviços e sim em propiciar novas experiências.

E o que são estas novas experiências? Uma definição prática é a junção, de preferência, de dois elementos presentes em nosso cotidiano, sendo um deles, qualquer coisa que tenha algum tipo de mercado ou interesse comum, e o outro elemento, o que já é de fato indispensável em nossas vidas, a internet. E desta união nasce um novo modelo surpreendente, que naturalmente contamina toda a cadeia de valor, alterando, invertendo, otimizando seus processos e seu jeito de pensar e agir.

Como exemplo de UX nos negócios, algo ainda inovador, mas “top trends” da década para o mercado financeiro, são os bancos virtuais, como o Splitwise.com, onde você pode em poucos passos abrir uma conta e fazer transações das mais diversas possíveis, com pessoas da sua relação, sem depender de um banco tradicional. Abrir conta conjunta em grupos para um evento específico, poupar dinheiro em grupo, emprestar dinheiro, e / ou fazer investimentos dentro de uma rede de confiança.

Outro exemplo, absolutamente fascinante que já invadiu o nosso cotidiano, com o qual podemos chamar um táxi em apenas um simplório clique, com a certeza e segurança que ele estará em sua porta no prazo aproximado de três minutos. E o mais incrível é que em tão pouco tempo de operação nem mais nos lembramos de como fazíamos antes. Isto acontecerá com os bancos virtuais também.

Jamais poderiam ficar de fora exemplos como os aluguéis de bicicleta via mobile commerce, o que já virou alternativa de transporte oficial em São Paulo e no Rio de Janeiro principalmente. O Zascar para aluguel de carro por pequeno período, que aos poucos vai ampliando o número de POD´s (points of delivery) pelos bairros de São Paulo; se esta prática prosperar você acha mesmo que daqui a alguns anos acharemos importante ter um carro como um bem? E o AirBNB que possibilita a troca e aluguel temporário de casas, e já conecta você a mais de 34 mil cidades do mundo, com mais de 1.000 anúncios na cidade de São Paulo, isto certamente irá mudar o nosso conceito sobre turismo.

Agora, exploraremos o universo de UX aplicado a produtos, como já propôs um expert brasileiro no assunto (claudiopalmieri.com). Imagine você plugando seu fone de ouvido em uma bebida em lata e experimentando uma seleção de músicas do seu gênero preferido, enquanto satisfaz sua sede. E mais, se você pudesse gravar uma frase de amor para sua namorada(o) em um vidro de perfume que você vai dar de presente, é no mínimo uma experiência de marca maravilhosa. E como fazer? Já pesquisou sobre os Arduinos (dispositivos que facilitam estas peripécias)? Faça e você encontrará um que te ajude a delirar algo diferente como estes exemplos.

Todas estas iniciativas tem uma essência comum, a simplicidade que existem nos conceitos das novas experiências de negócios. E a simplicidade significa apenas otimizar escolhas, ter foco na decisão. Experience não combina com complexidade, o impacto deve ser rápido de ser absorvido. Lembrar que a ideia pode vir de um estalo, e se não vier, você pode fabricá-la, por isto nunca prescinda de um planejamento, mesmo que seja Lean...

Valéria Jureidini

Deixe um comentário

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.